No Caderno “Comida”,Folha de São Paulo,20 de Junho de 2012,na seção “Picadinho”,a jornalista Marília Miragaia escreve sobre o remake de “Gabriela”,adaptação da Globo para o romance “Gabriela,Cravo e Canela”,de Jorge Amado.

“Gabriela não precisava, mas sabe cozinhar”, diz Juliana Paes

Folha – Como foi sua imersão na cozinha de Gabriela?
Juliana Paes – Tive aulas para aprender um pouco sobre a cozinha baiana. Sutilezas como descascar o feijão, tirar o seu “leite” com o pano, passá-lo pelo pilão… A comida que gravamos é de verdade. O Humberto [Martins, que vive o personagem árabe Nacib] come e sempre elogia. [risos]

O que foi mais difícil?
Aprender como se cozinhava naquela época [a história se passa nos anos 20].

Gabriela é a primeira grande cozinheira de Jorge Amado. Como você a define?
Ele [Jorge Amado] quis colocar nela [Gabriela] a perfeição. Ela não precisava, mas sabe cozinhar. E é uma retirante. Como essa mulher aprendeu a cozinhar tão bem? É uma ironia.

Como você acha que seria Gabriela sem a cozinha?
Meio destemperada. É na cozinha que ela coloca suas doses de sensualidade.

Existe uma relação entre comida, amor e sensualidade?
Comer o é o nosso segundo prazer depois do sexo. E Gabriela conquista o Nacib por cozinhar bem. Ele só queria uma cozinheira. E ela coloca todo seu amor na refeição.

Você cozinha?
Eu tenho uma “bíblia”, que é o livro da dona Benta. Mas, cozinhar mesmo, só no final de semana.


“Na pobre cozinha, Gabriela fabricava riqueza: acarajés de cobre, abarás de prata, o mistério de ouro do vatapá”

Trecho de “Gabriela, Cravo e Canela”, obra de Jorge Amado escrita em 1958

 


CHEIRO DE CRAVO, COR DE CANELA

Aproveitando a estreia de “Gabriela”, a nova adaptação da rede Globo para o romance “Gabriela, Cravo e Canela” o Picadinho desta semana homenageia o escritor Jorge Amado.
Fala de alguns ingredientes que aparecem no livro, ensina uma das especialidades de Gabriela -a receita de acarajé- e bate um papo com a atriz Juliana Paes, que vive a personagem -antes representada por Sônia Braga- na regravação da novela.

OS INGREDIENTES DE Jorge Amado

Paloma Jorge Amado estudou os romances do pai, Jorge Amado, para explicar como ele “alimentava seus personagens”. O resultado, “A Comida Baiana de Jorge Amado” (ed. Record, 328 págs., esgotado), elenca alguns ingredientes presentes em sua obra. Conheça alguns deles.

Feijão-fradinho

Claro e miúdo, é usado em acarajé e abarás (massa de feijão cozido em folha de bananeira)

Leite de coco grosso


Fruto da primeira prensagem do coco, sem acréscimo de água. Usado no vatapá e na moqueca

Taioba

 

 

Folha verde escura empregada no efó (cozido que leva camarão seco, peixe e castanha-de-caju)

Pimenta-de-cheiro


Forte, picante e saborosa. É utilizada nos “molhos escuros de pimenta” de Gabriela

E,para terminar,vamos deixar que a também deliciosa “Alegre menina” nos invadaa alma e o coração!!!!

Fonte: Folha de São Paulo